Santa Catarina leva internet e telefonia móvel para o meio rural

O meio rural catarinense está cada vez mais conectado.

Santa Catarina tem projeto pioneiro para levar internet e telefonia móvel para municípios com carência em infraestrutura de comunicação básica. Em fase final de instalação, o Projeto Piloto em Comunidades Rurais Digitais atenderá 11 cidades com a instalação de antenas repetidoras de sinal de internet e telefonia. A ação, executada pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, conta com investimentos de R$ 5,5 milhões do Programa SC Rural.

Pinheiro Preto, no Meio-Oeste catarinense, é um dos 11 municípios beneficiados pelo projeto e terá cobertura de internet em 90% do seu território. Para viabilizar o acesso, o projeto contou com a implantação de uma torre localizada na prefeitura e outras quatro antenas repetidoras. Com todos os equipamentos já instalados, o município deve agora encaminhar os pedidos de licença de operação para Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e para Fundação do Meio Ambiente (Fatma). A expectativa é que o projeto seja lançado no próximo mês.


catanduvas_-_comunidades_rurais_digitais_20170119_1577939915

O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que, com a internet e telefonia, muitos serviços poderão ser oferecidos para o cidadão, como comércio eletrônico, ensino à distância e turismo rural. Ambas ainda oferecem a oportunidade de inclusão digital e inclusão social às comunidades rurais. “O interior tem a mesma necessidade de se comunicar que as cidades. Hoje não se tem desenvolvimento sem infraestrutura. O telefone e a internet são ferramentas que precisam estar na mão do cidadão, onde ele morar”, ressalta.

Além de Pinheiro Preto, os municípios de Ipuaçu, Catanduvas, Bom Retiro, Major Vieira, Trombudo Central, Botuverá, Bocaina do Sul, Pedras Grandes, Tigrinhos e Anitápolis também terão a infraestrutura para instalação de internet e telefonia móvel. Em alguns casos, as torres repetidoras de sinal são totalmente alimentadas por energia solar, gerada por painéis e kits de bateria.

Esta semana, o gerente de Tecnologia da Informação da Secretaria de Estado da Agricultura, Fabio Luiz Ferri, e o consultor técnico Marcos Vinicius Vanzin visitaram os municípios atendidos para verificar as estruturas de telecomunicações, qualidade dos sinais de transmissão entre as torres e a configuração dos sistemas de cadastramento dos usuários e gestão dos conteúdos. Durante 24 meses, os custos de implantação, manutenção, operação e gestão ficarão a cargo da Secretaria da Agricultura e da Pesca. Após esse período, o município será responsável pelos custos.

Segundo o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional de Videira, Euro Vieceli, o projeto leva informação ao homem do campo. “Uma iniciativa pioneira e revolucionária. Somos sabedores da importância de conter o êxodo rural, mas só haverá iniciativas efetivas quando as condições para permanecer no campo forem boas, e a internet é um item indispensável” afirma.

Programa SC Rural

O Programa SC Rural nasceu em 2011 e termina em junho de 2017, é executado pelo Governo do Estado em parceria com o Banco Mundial e destina recursos não reembolsáveis a empreendimentos da agricultura familiar, mediante contrapartida dos beneficiários. Os empreendimentos apoiados abrangem atividades agrícolas ou não agrícolas (como o turismo rural) por meio de projetos de caráter estruturante, de melhorias de sistemas produtivos ou planos de negócios, além de outras ações implementadas por cooperativas e associações de agricultores familiares.

O SC Rural é coordenado pela Secretaria da Agricultura e da Pesca e, por envolver atividades multissetoriais, é executado por diversas instituições: Epagri, Cidasc, Fatma, Polícia Militar Ambiental, Secretaria de Turismo, Cultura e Esportes, Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Secretaria de Infraestrutura.

Josiane Zago.

Pin It