Santa Catarina incentiva inovação tecnológica voltada para agricultura familiar

Santa Catarina pode ter Núcleo de Inovação Tecnológica voltado para o meio rural e pesqueiro. Essa deve ser uma das prioridades do novo Programa SC Rural, que terá novamente o Banco Mundial como grande parceiro. A intenção é levar tecnologia de ponta para os agricultores e pescadores do Estado, como forma de aumentar a competitividade do meio rural e pesqueiro. O Banco Mundial pretende apoiar pequenas e médias empresas, incluindo associações, cooperativas, organizações de mulheres e de agricultores, desenvolvedoras de projetos de “tecnologia verde” em zonas rurais.

O diretor de Projetos Especiais do SC Rural, Ditmar Zimath, explica que esta é uma ideia embrionária do Banco Mundial e que Santa Catarina aceitou o desafio de implantar um Núcleo de Inovação Tecnológica. “Inicialmente as atividades estarão voltadas a disseminação de “tecnologias verdes”, focadas no aumento da produtividade, da renda e na redução de gases do efeito estufa, gerada  pelas atividades desenvolvidas”, destaca.

O Núcleo irá aproximar os inventores e as pequenas e médias empresas privadas que desenvolvem as tecnologias dos agricultores e pescadores, e mais do que isso, pretende que estas tecnologias possam ser oferecidas a baixo custo. Uma prévia do que está por vir pôde ser vista durante a Mostra Catarinense de Tecnologias para a Agricultura em Pequena Escala (Agrotec), realizada em Itajaí no último mês. O evento reuniu 42 expositores e um público superior a três mil pessoas.

Os expositores levaram à Mostra, tecnologias voltadas, por exemplo, para o monitoramento de abelhas por peso; um alimentador automático para piscicultura; uma máquina desoperculadora de favos automática dupla face; equipamento de plantio direto de hortaliça na palha; máquina de colher aipim, entre outras.

O Banco Mundial acredita que as tecnologias como a agricultura de precisão, drones e aplicativos móveis, que ajudam os produtores na tomada de decisões a cerca de produção e mercado, ainda não estão disponíveis para os agricultores familiares e suas organizações. De acordo com o economista Diego Arias, a escolha de Santa Catarina como sede do centro de inovações deve-se a quatro fatores: ser um estado onde a inovação na área da agricultura familiar é uma prioridade de governo; pelo desempenho apresentado pelo Governo de Santa Catarina na execução do Programa SC Rural; pelo compromisso do Estado com a expansão e acesso à internet e tecnologias digitais no meio rural; e pela possibilidade de se desenhar um novo projeto com foco na inovação agrícola/rural e também na adaptação às mudanças climáticas.

Programa SC Rural

O SC Rural conta com investimentos do Governo do Estado e do Banco Mundial (Bird) para aumentar a competitividade da agricultura familiar catarinense. Sob a coordenação da Secretaria da Agricultura e da Pesca, o Programa abrange atividades em áreas como crédito, logística, transporte, comunicação, capacitação tecnológica e gerencial, gestão ambiental, gestão de qualidade, defesa sanitária e outras, que induzem a criatividade e a inovação para o desenvolvimento de empreendimentos familiares agrícolas, não agrícolas, agroindustriais ou de serviços.

Ana Ceron

Pin It