Governador Colombo prestigia jogo entre Brasil e Colômbia em homenagem à Chapecoense

001

O Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, foi palco para mais uma grande homenagem à Chapecoense. A seleção do Brasil venceu a da Colômbia por 1 a 0 em um jogo amistoso na noite desta quarta-feira, 25. O governador Raimundo Colombo acompanhou emocionado o evento, batizado como Jogo da Amizade. A renda foi revertida para famílias das vítimas do acidente ocorrido no final de novembro do ano passado.

Um dos momentos mais emocionantes foi quando antes do jogo, ao invés de fazer um minuto de silêncio, todo o estádio participou de um minuto de aplausos em homenagem às vítimas. “Um momento como este aflora o melhor sentimento, que é de solidariedade. Todo mundo que está neste jogo está participando de um grande abraço solidário para as famílias das vítimas e para todos que fazem parte da Chapecoense. Não tem como não se emocionar diante da grandeza deste ato”, afirmou Colombo.

“Hoje estamos mais uma vez reconhecendo a solidariedade e o amor de todos os brasileiros e de todos colombianos com a família chapecoense. Ainda estamos em um momento de muita dor e todo esse carinho nos dá força para seguir em frente”, agradeceu o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon.

Além da ajuda material para as famílias das vítimas retomarem suas vidas, o público do jogo desta noite é uma demonstração de solidariedade e de como existem pessoas boas dispostas a ajudar o próximo”, acrescentou o presidente da Assembleia Legislativa, Gelson Merisio.

O Jogo da Amizade

002

A CBF convidou a Seleção da Colômbia para o jogo em agradecimento pelo respeito que os colombianos vêm demonstrando aos brasileiros. Toda a renda líquida da partida será repassada à Associação Chapecoense de Futebol, que a utilizará integralmente para indenizar os familiares dos jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes, vítimas da queda do avião que levava o time para disputar a partida final da Copa Sul-Americana, em Medellín.

O acidente ocorreu no dia 29 de novembro de 2016, matando 71 pessoas. Apenas seis sobreviveram: o goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto, o radialista Rafael Henzel, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suárez.

Presentes no evento desta quarta, Follmann, Alan Ruschel e Neto receberam homenagens e foram ovacionados pelo público do Engenhão.

Alexandre Lenzi

Pin It