Exportação de carne suína para Coreia do Sul deve começar em 2017

Carne suína produzida em Santa Catarina deverá entrar no mercado sul-coreano no próximo ano. Segundo o vice-ministro da Agricultura da Coreia do Sul, Lee Jun-won, o processo de aprovação para importação da carne suína de Santa Catarina será concluído no início de 2017, quando técnicos do governo sul-coreano virão ao Estado para visitas técnicas aos frigoríficos. A expectativa é de que Santa Catarina venda pelo menos 30 mil toneladas de carne suína por ano para a Coreia do Sul.

Com 50 milhões de consumidores, o mercado sul-coreano é uma importante conquista para o agronegócio catarinense. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que as negociações para exportação de carne suína para Coreia do Sul são feitas há 10 anos e que o status sanitário diferenciado de Santa Catarina foi decisivo para a abertura do mercado.

“O esforço dos produtores, setor público e iniciativa privada na busca da excelência sanitária está gerando frutos. A conquista de mercados competitivos prova que o nosso status sanitário diferenciado e a qualidade dos produtos trazem resultados efetivos, principalmente com a receita de nossas exportações”, ressalta.

Das oito etapas de negociações, seis delas já foram cumpridas. E a visita do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, à Coreia do Sul deu início à sétima fase, que é a aprovação pelo Congresso Sul-Coreano. “Creio que em dois meses teremos terminado esta fase e poderemos entrar na última etapa deste processo, que é a visita técnica aos frigoríficos brasileiros”, previu o vice-ministro Lee Jun-won.

De acordo com o ministro Blairo Maggi, esta sétima etapa deve ser concluída ainda este ano. “O Governo e os produtores de Santa Catarina têm de manter a pressão, porque esta penúltima etapa deve estar concluída em novembro. E, quanto mais cedo os coreanos fizerem a visita técnica, mais rápido colocaremos nossa carne suína no mercado coreano”.

Negociações com SC

Em julho, uma comitiva catarinense liderada pelo governador Raimundo Colombo esteve na Coreia do Sul para agilizar o processo de exportação de carne suína. Representantes do governo Sul-Coreano comunicaram o interesse do país em importar carne suína produzida em Santa Catarina, faltando apenas questões administrativas a serem tratadas entre os Ministérios da Agricultura da Coreia do Sul e do Brasil.

Suinocultura em SC

Santa Catarina é o único Estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação e também livre de peste suína clássica, com certificados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), status sanitário diferenciado que foi um fator decisivo para a abertura de novos mercados.

O Estado é o maior produtor e exportador nacional de carne suína do país. São cerca de 10 mil criadores integrados às agroindústrias e independentes, que produzem anualmente cerca de 850 mil toneladas de carne suína. Com um rebanho efetivo estimado em sete milhões de cabeças, o Estado é responsável por aproximadamente 27% da produção nacional de carne suína e por 35% das exportações brasileiras.

Entre os atuais principais países de destinos da carne suína estão Rússia, China, Angola, Cingapura, Chile, Japão, Uruguai e Argentina. O Estado exporta quase 190 mil toneladas por ano.

Marcelo Tognozzi

Pin It