Corpo de Bombeiros Militar investe em inovação tecnológica para operações com uso de drones

florianopolis_-_drone_dos_bombeiros_20170209_1977502263

Vazamento de produto químico altamente perigoso, incêndio florestal de grandes proporções, pessoa perdida ou embarcação à deriva. Todas estas situações fazem parte da rotina das equipes operacionais do Corpo de Bombeiros Militar. Em todos estes casos, os profissionais precisam ter a dimensão da ocorrência e fazer um prévio mapeamento, para decidirem a forma de intervenção a ser adotada para salvar vidas e minimizar os riscos a si mesmos. Pensando em melhorar o atendimento prestado à comunidade, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, está investindo na aquisição de aeronaves remotamente pilotadas (RPA) para uso operacional.

São equipamentos conhecidos popularmente como drones. O primeiro do Corpo de Bombeiros do Estado foi adquirido com recursos de cerca de R$ 20 mil, entre baterias e carregadores extras, câmera de foto e vídeo de resolução 4k, Ipad, acessórios e a aeronave propriamente dita.

Para o tenente Pedro Cabral Reis da Silva, idealizador da aquisição de drones em uso operacional pela corporação, são muitos os benefícios da utilização deste tipo de equipamento para as instituições. “Além de resguardar, em muitas situações, a integridade física dos próprios bombeiros, os drones, com um custo operacional baixo quando comparado a outros equipamentos, permitem acessar e visualizar com agilidade as áreas de difícil acesso“, explica. O estudo de viabilidade da utilização de drones em operações de bombeiros foi o tema do trabalho de conclusão do curso de formação de oficiais do tenente, que já consegue aplicar na prática o que aprendeu e desenvolveu nas aulas no Centro de Ensino Bombeiro Militar.

O equipamento

O modelo adquirido pelo Corpo de Bombeiros de Santa Catarina é um dos mais modernos atualmente. O Phanton 4, de fabricação chinesa, ganhou reforço no conjunto de baterias e teve a capacidade de voo aumentada de 28min para 2h30min, considerando o tempo total de voo, com reposição de baterias. O alcance estimado é de dois quilômetros, em todas as direções. O modelo adotado pelos bombeiros militares de Santa Catarina não possui capacidade para transporte de cargas e será usado exclusivamente para busca e resgate, mapeamento de áreas em situações de risco ou levantamento de informações, porém, já existem estudos para aquisição de drones com capacidade de transporte de cargas.

Inicialmente, o equipamento ficará sediado em Florianópolis e será usado prioritariamente em resgates e operações de busca, mas poderá ser deslocado para outras regiões dependendo da necessidade, explica Reis.

Apesar do uso de aeronaves remotamente pilotadas nos Estados Unidos já ser bastante comum, sendo inclusive usadas para transporte de cargas em situações de ajuda humanitária ou bombardeamento de áreas com munições pesadas, no Brasil, poucos estados adotam drones para uso operacional. Santa Catarina passa a ser um dos Estados pioneiros na institucionalização das aeronaves para esse uso.

Curso

Os primeiros bombeiros militares já estão sendo treinados para operarem a aeronave. O curso, ministrado pelo 2° Tenente BM Pedro Cabral Reis da Silva e pelo 3° Sargento BM Ewerton Luiz Oliveira, acontece na sede do GBS – Grupo de Busca e Salvamento, organização integrada ao 1° Batalhão de Bombeiros Militar de Florianópolis. Dividido em parte teórica e prática, o curso contempla noções de manutenção e pilotagem, além de situações simuladas em que o drone possa ser usado. O treinamento começou nesta terça-feira, 7, se repetiu nesta quinta-feira, 9, e acontecerá ainda nos dias 14 e 16 de fevereiro, das 8h às 17h na sede do GBS, localizado em frente ao Comando-Geral na Avenida Beira-Mar, em Florianópolis.

 

Pin It