Aumentar a renda é objetivo de programa de desenvolvimento e redução das desigualdades regionais

Garantir o andamento do Crescendo Juntos – Programa de Desenvolvimento e Redução das Desigualdades Regionais de Santa Catarina é um dos papéis do comitê gestor. O grupo se reuniu nesta quinta, 20, em Florianópolis, a fim de nivelar informações e estratégias para os workshops de construção da agenda de desenvolvimento regional. Participaram do encontro o secretário de Estado do Planejamento, Murilo Flores, o secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Geraldo Althoff, a secretária adjunta da SOL (Turismo, Cultura e Esporte), Simone Cristina Vieira Machado, e representantes das organizações parceiras do programa.


Foto: Sec. Planejamento

“O isolamento, a falta de crescimento, a distância que está havendo entre as regiões mais desenvolvidas do Estado e menos desenvolvidas não é à toa. Ela acontece por um conjunto de fatores que, se não forem interrompidos, vão continuar acontecendo. As estruturas estão atreladas ao status quo das regiões, então é preciso fazer um rompimento mesmo. Você vai encontrar dificuldades nos atores locais, de algumas lideranças que, por vezes, mantêm seu jogo de poder baseados na estrutura que está lá. Como o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar criado em 1995 quando Murilo Flores foi secretário do Ministério da Agricultura), programa que tem o foco na geração de emprego, renda e produção, onde não estamos desprezando um conjunto de fatores como saúde e educação, pois eles virão no entorno dessa discussão do aumento da renda”, ressaltou o secretário de Estado do Planejamento (SPG), Murilo Flores.

O primeiro workshop do Crescendo Juntos será realizado em Lages, no dia 10 de novembro, quando integrantes do Governo do Estado e sociedade civil organizada discutirão estratégias que promovam o desenvolvimento na região. A agenda deverá conter ações concretas nos seguintes eixos: desenvolvimento econômico, desenvolvimento social, infraestrutura e meio ambiente, ciência e tecnologia e gestão pública.

Estiveram presentes na reunião representantes das secretarias estaduais de Desenvolvimento Econômico Sustentável, de Assistência Social, Trabalho e Habitação e da secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, além da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação dos Trabalhadores na agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), Udesc e BRDE.

Sobre o Crescendo Juntos

Após o estudo de diversos indicadores de desenvolvimento, a equipe técnica da Secretaria de Estado do Planejamento elaborou o mapa de elegibilidade que define as regiões de Santa Catarina em mais desenvolvidas, em transição e menos desenvolvidas. Essa classificação é resultado da associação de duas variáveis-chave capazes de medir o desenvolvimento socioeconômico de uma região ou do Estado: renda domiciliar per capita média da população residente na região e Produto Interno Bruto per capita. Além disso, foram considerados dois indicadores complementares: evasão da população e a dinâmica do emprego formal.

O programa identificou 12 regiões com baixos índices de desenvolvimento em Santa Catarina: Caçador, Campos Novos, Canoinhas, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Ituporanga, Lages, Laguna, Quilombo, São Joaquim, São Lourenço do Oeste e Taió. Em cada região, será elaborada uma agenda de desenvolvimento com propostas concretas para dinamizar a economia local, respeitando as vocações dos territórios, com a participação de órgãos governamentais e da sociedade civil organizada.

Os parceiros iniciais do Crescendo Juntos são Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. (Badesc), Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Federação dos Trabalhadores na agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc) e Banco do Brasil.

Rosália Dors Pessato

Pin It