Agricultores catarinenses investem no cultivo hidropônico

Cultivo hidropônico atrai investimentos no meio rural de Santa Catarina. Após trabalhar no ramo fumageiro por duas décadas, o engenheiro agrônomo Carlos Rogério Metzger encontrou na hidroponia uma fonte de renda e uma oportunidade para voltar a investir no meio rural. Com o apoio do Programa SC Rural, a Hidrovida Verduras Hidropônicas já aumentou seu faturamento em 30% e, hoje, tem uma produção de dez mil pés de alface por mês.

Metzger começou a produção hidropônica em 2011, em Taió, com quatro estufas de alface e, já no primeiro ano, sentiu a necessidade de ampliar a produção. Foi então que o engenheiro agrônomo procurou o apoio do Programa SC Rural e a produção não para de crescer. “Para mim, o SC Rural foi uma ajuda. Eu tomei a decisão de aumentar minha produção, e o resultado foi muito bom. Nos dias de hoje, para conseguir isso é necessário um investimento muito grande, e com o apoio do Programa SC Rural conseguimos aumentar a produção e o lucro”, disse.


Foto: Romeu Scirea Filho/SC Rural

Para ampliar seu empreendimento, o engenheiro agrônomo investiu R$ 60 mil, sendo R$ 30 mil de recursos próprios e o restante em recursos do Programa SC Rural. “Eu não sei se no Brasil existe algum outro Estado que dê esse tipo de apoio ao produtor, que ele investe 50% e o Governo entra com 50%. É a tua contrapartida de 50% e deu. Os outros 50% o Governo dá”, destaca Rogério.

Além de alface, Rogério Metzger produz rúcula, agrião, salsinha, cebolinha e couve, que são comercializadas em Rio do Sul e Taió. Com a ajuda do sogro e de mais dois funcionários, o agrônomo já pensa em expandir a produção e não quer parar de investir. “Meu sonho sempre foi iniciar a produção. Agora estou pensando num segundo tempo, poder fazer o mini processamento das minhas verduras, não vender in natura, para agregar mais valor”, conta.

O secretário executivo do SC Rural na região do Alto Vale do Itajaí, Mauro Nunes Teixeira, explica que o programa contribui de forma significativa para o aumento da renda no meio rural. “Nós percebemos a satisfação dos envolvidos com os resultados positivos do programa. Além de recursos para aquisição de máquinas e equipamentos, o programa trabalha com eventos e capacitações que contribuem decisivamente na inclusão dos empreendimentos em seus segmentos de mercado, com a melhoria dos produtos ofertados e ainda com a conscientização das famílias sobre a necessidade de se preservar o ambiente natural para serem protagonistas de um mercado sempre exigente e competitivo”, disse.

Rogério Metzger é a prova de que o meio rural pode gerar renda e qualidade de vida, ainda mais com o suporte do SC Rural. “Eu vejo assim: um apoio maior do que esse para a agricultura familiar, eu desconheço. Quem não procurou o programa, pense e, no próximo, tenha coragem e invista nessa grande oportunidade que o Governo está dando”, afirmou.

Investimentos no Alto Vale do Itajaí

A Hidrovida Verduras Hidropônicas está ligada à Cooperativa de Pequenos Produtores de Taió (Coopertaió) e, junto com mais oito empreendimentos, faz parte do Projeto Estruturante do Programa SC Rural para melhorar as estruturas, possibilitar/ampliar o acesso a mercados e fortalecer sua organização.

Em toda região do Alto Vale do Itajaí, o programa já apoiou a implantação de 16 projetos estruturantes, que beneficiaram 366 agricultores familiares dos municípios de Salete, José Boiteux, Vitor Meireles, Dona Emma, Agrolândia, Trombudo Central, Taió, Witmarsum, Ibirama, Mirim Doce e Aurora. O investimento total ultrapassa os R$ 6,6 milhões, sendo que R$ 2,7 milhões são em recursos do SC Rural sem necessidade de reembolso.

Entre as atividades apoiadas estão a produção de leite, apicultura, piscicultura, fruticultura citros, agroturismo, hidroponia, panificação e a produção de bolachas.

Programa SC Rural

O Programa SC Rural nasceu em 2011 e termina em junho de 2017, é executado pelo Governo do Estado em parceria com o Banco Mundial e destina recursos não reembolsáveis a empreendimentos da agricultura familiar, mediante contrapartida dos beneficiários. Os empreendimentos apoiados abrangem atividades agrícolas ou não agrícolas (como o turismo rural) por meio de projetos de caráter estruturante, de melhorias de sistemas produtivos ou planos de negócios, além de outras ações implementadas por cooperativas e associações de agricultores familiares.

O SC Rural é coordenado pela Secretaria da Agricultura e da Pesca e, por envolver atividades multissetoriais, é executado por diversas instituições: Epagri, Cidasc, Fatma, Polícia Militar Ambiental, Secretaria de Turismo, Cultura e Esportes, Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Secretaria de Infraestrutura.

Romeu Scirea Filho

Pin It