Globosat fatura R$ 180 milhões por ano com canais pornográficos

A pornografia é mesmo um negócio lucrativo no Brasil – que o diga a Globosat. Segundo Ricardo Feltrin, a programadora via satélite ligada às Organizações Globo faturou, apenas no ano passado, um total de R$ 180 milhões somente com a venda de canais e produtos eróticos – o que também corresponde ao ganho médio anual comum com esse segmento da empresa.

Ao todo, a Globosat possui seis canais pornográficos – Sexy Hot, PlayboyTV, SH Rapidinhas, Venus, Sextreme, For Man e Brazzers (os dois primeiros estão disponíveis tanto na Net como na SKY, principais operadoras de TV por assinatura do país). Apenas com a venda de filmes on demand, o grupo teve um lucro aproximado de R$ 72 milhões ao longo de 2016.

Tamanho faturamento não é casual: a Globosat possui literalmente o monopólio da veiculação de pornografia no Brasil. Em 2008, o Grupo Bandeirantes (Band) tentou abrir concorrência nesse filão para a empresa da família Marinho, lançando na TV paga um canal pornô em parceria com a conhecida produtora erótica Brasileirinhas.

Entretanto, a operação durou menos de dois anos, já que sequer foi possível disponibilizar a emissora hot nas operadoras por assinatura. O motivo seria justamente a intervenção das Organizações Globo, que moveram suas influências para evitar o lançamento do canal pretendido pela Band. Isso que é marcar território, hein?

RD1

Pin It