Fundação Indaialense de Cultura disponibiliza cursos gratuitos de Violino e Viola

P1150504

Entre os diversos cursos gratuitos disponibilizados à comunidade pela Fundação Indaialense de Cultura estão contemplados na gama de cursos instrumentais aulas de Violino e Viola sob a coordenação do professor Paulo Henrique Tadeu Lira. O violino e a viola são instrumentos da mesma família, ambos são de cordas, têm tamanho e aspecto similares.

Os cursos caracterizam-se pela prática instrumental, linguagem musical, apresentação individual e coletiva. Tem como objetivos possibilitar ao estudante o reconhecimento e características dos instrumentos; desenvolver a postura e a afinação, bem como o censo crítico do seu fazer musical e trabalhar a interpretação artística e estilística dentro do contexto histórico da obra a ser estudada.

Também há um repertório específico para violino ou viola nos diversos níveis de aprendizagem relacionados ao nível de estudo do aluno. No nível inicial o estudante aprende sobre a linguagem musical; notas musicais; compassos simples; solfejo rítmico; escalas maiores; armadura de clave; tonalidades maiores; técnicas do instrumento; postura; forma de mão esquerda; forma de mão direita (arco); exercícios de aquecimento (cordas soltas, golpes de arco e dedilhado, ponto de contato); relaxamento e respiração; prática de repertório; músicas de fácil execução instrumental individual e em conjunto.

Já no nível intermediário, o aprendizado do aluno avançará para andamentos simples e compostos; estudo das diferentes claves, solfejo rítmico e melódico, escalas maiores e menores; noções de harmonia (montagem de acordes em tríades) e dos períodos da história da música; síncope; acentuações métricas; formas e gêneros musicais; técnicas do instrumento; exercícios de aquecimento; escalas de duas oitavas; estudo de métodos de posição fixa e concertos de primeira posição.

No nível avançado os conteúdos repassados ao aluno compreendem harmonia básica; solfejo rítmico e melódico; noções de história da música; técnicas do instrumento; escalas e arpejos maiores e menores em três e quatro oitavas; estudo de métodos de posições fixas, mudanças de posições e cordas duplas, além de estudos de peças de concerto.

As aulas ocorrem uma vez por semana, tem duração aproximada de 50 minutos e acontecem no período matutino ou vespertino. Além do professor Paulo também há uma estagiária contratada pela FIC, Ewlin Sophia Vogel, para lecionar aulas. Atualmente os cursos reúnem 32 alunos. “O perfil de idade dos alunos é de sete a 18 anos, mas atendemos todas as idades. A pessoa precisa ter vontade de aprender e dedicação”, enfatiza o professor.

Entre as características desses cursos na FIC se destacam o fato de que as aulas são individuais e a Fundação cede instrumento para o estudante utilizar nas aulas e ensaiar em casa. “O aluno tem a oportunidade de se desenvolver melhor. Tudo isso contribui para a qualidade artística do profissional. É interessante também que muitos pais acompanham as aulas de seus filhos, motivando-os a se dedicarem nos estudos”, ressalta Paulo.

O professor acrescenta que muitos alunos saem da Fundação e prosseguem seus estudos musicais em conceituadas instituições superiores de música no país devido a esse preparo na FIC.

Além das aulas na Fundação os alunos participam de apresentações em Audições Musicais. Muitos estudantes ainda têm a oportunidade de desenvolverem sua prática de conjunto na Orquestra Tra-La-Lá, sob a coordenação do professor Marcio Kuhn, e na Orquestra de Câmara de Indaial, sob a regência de Paulo Lira. Além da Orquestra, Paulo é regente do Coral da FIC.

Sobre a Orquestra de Câmara de Indaial

A Orquestra de Câmara de Indaial teve seu Concerto de Abertura em 14 de novembro de 2002. Conta com aproximadamente 25 músicos estudantes de música da cidade e região, que tocam violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, oboé e clarinete. Os ensaios ocorrem aos sábados, das 8h15 às 10h15, na FIC.

Em abril de 2015, através da Lei Municipal nº 5.134, foi formalmente instituída na forma de unidade administrativa de natureza cultural vinculada à Fundação Indaialense de Cultura com a finalidade de promover o ensino e a prática de música em grupo e a difusão cultural da arte musical.

No repertório encontram-se obras do período Barroco até o século XX e também temas de filmes, todas de música erudita. A Orquestra se apresenta em eventos da cidade e apresentações promovidos pela FIC.

Sobre o Coral da FIC

Fundado originalmente por componentes da Família Rotária de Indaial, era regido pelo maestro Werner Arnold. Integrou-se às atividades da Fundação Indaialense de Cultura em março de 1994, passando a ser composto por membros de toda a comunidade de Indaial, e a partir de então denominou-se “Coral da Fundação Indaialense de Cultura”. De 1994 até 2008 foi regido pelo maestro Telmo Elias Locatelli. Depois de um período de quatro anos sem atividades o Coral da FIC retomou seus ensaios em maio de 2012 sob a direção artística e regência do maestro Paulo Lira.

O Coral tem como proposta o elevado nível técnico e artístico de seus integrantes, aliado a um repertório que vai da música sacra e clássica até a música popular e folclórica, dando ênfase na qualidade de suas interpretações, como também trabalhos em conjunto com os grupos camerísticos da cidade e região. Ele é misto, com 20 vozes: sopranos, contraltos, tenores e baixos. Os ensaios acontecem nas terças-feiras, das 20h às 21h30, na FIC.

Nesse período de renascimento o Coral da FIC já mostrou seu trabalho em diferentes apresentações no município na qualidade de coro solista dos Concertos de Advento de Indaial, dos espetáculos de Autos da Paixão e de Natal, além de apresentações em conjunto com a Orquestra de Câmara de Indaial e com o Grupo de Teatro “Trapos e Farrapos” dos alunos da FIC. O Coral faz no início de cada ano audições para seleção de novos cantores que desejam integrar-se ao grupo.

Sobre o professor

Paulo Lira é graduado em Música pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (Furb). Iniciou seus estudos de música aos onze anos. Em 1997 participou da fundação da Orquestra de Câmara Municipal de Timbó, e em 2000 ingressou na Orquestra da Furb. Estudou regência com os maestros Oswaldo Ferreira (Portugal), Frank Graf, Daniel Bortholossi, Denise Mohr e Eusébio Kolher e violino com os professores Paulo Mannes e Roseli Weigartner. Frequentou Master Class com Paulo Bosísio, Elisa Fukuda e Roberto Hübner. Desde 2008 é orientado ao violino pelo professor Roberto Hübner da Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Em março de 2001 implantou em Indaial o “Programa de Musicalização nas Comunidades”, e com esses alunos formou em 2002 a “Orquestra de Câmara de Indaial”. Em 2006 criou o Coro Misto Indaiá com membros da comunidade indaialense. Foi regente do grupo até 2010. Em 2014 recebeu da FIC o certificado de “Amigo da Cultura de Indaial” pelo seu trabalho desenvolvido junto à prática coral no município.

Atua como professor de violino e viola na Fundação Indaialense de Cultura, Departamento de Cultura de Ascurra, e na “Academia de Cordas” da Orquestra de Câmara Municipal de Timbó, além de ter uma classe de alunos particulares. Como instrumentista é membro do Quarteto de Cordas “Cidade de Indaial”. É maestro e diretor artístico da Orquestra de Câmara de Indaial, Orquestra de Câmara Municipal de Timbó e Coral da FIC.

Graciely Guesser Ramos

Pin It